Arquivos | novembro, 2013

A simbologia do coringa em exposição na Extecamp

02

Obra da artista

No dia 06 de Novembro a artista plástica Maria Antonia inaugura sua exposição “A Simbologia do Curinga”, no Espaço de Arte da Escola de Extensão – Extecamp.

Maria Antonia é paulista, de sólida formação acadêmica. O sucesso em sua atividade profissional fez com que a responsabilidade de executiva lhe desse a consciência de que, para entender o presente, é essencial compreender o passado.

A simbologia é a ciência que estuda a origem, a interpretação e a arte de criar símbolos. Todas as sociedades humanas possuem símbolos que expressam mitos, crenças, fatos, situações e idéias.

O coringa representa por tradição, o Símbolo do “tudo ou nada”, dos opostos complementares: senso e contra senso, alegria e tristeza, sabedoria e ignorância. Tratado como bobo da corte por exemplo, o coringa traz em si a personalidade do bufão, que tem por finalidade distrair o rei e sua corte, sem que isso significa que seja um tolo.

O grande segredo do coringa é justamente este o de ser dotado de inteligência e vivacidade mental por traz da aparência de tolo. É uma figura alegre e divertida, com sua própria razão de ser, mas que se torna de difícil interpretação quando compreendemos que sua mensagem vem disfarçada atrás de toda sua alegria.

Serviço: Exposição de Arte “a Simbologia do Curinga”

Artista: Maria Antonia

Local: Espaço de Arte da Extecamp – Av. Roxo Moreira, 1831, Prédio da Reitoria, Campus Unicamp/SP

Data: De 06 de Novembro a 18 de Dezembro de 2013

Horário de visitação: Segunda à Sexta-feira, das 9h00 às 17h00

Comentários desativados em A simbologia do coringa em exposição na Extecamp

Genivaldo Amorim expõe suas fotos na FCA – Limeira

Foto da exposição Queimaduras de 3° Grau

Foto da exposição Queimaduras de 3° Grau

O artista plástico Genivaldo Amorim inaugura sua exposição de fotografias Queimaduras de 3° Grau, no dia 07 de Novembro  no Espaço de Arte da Faculdade de Ciências Aplicadas da Unicamp – FCA.

Nascido em Umuarama PR, em 1973, radicado em Valinhos desde 1991, Genivaldo Amorim vem desenvolvendo uma arte que investiga questões relacionadas à ideia de corpo. São trabalhos em que o artista nos mostra e nos instiga a pensar o corpo a partir de questões como a fisicalidade e a perenidade do corpo, seus relacionamentos com a paisagem e com corpos alheios, sua autonomia em relação ao seu “dono”. Na sua obra, o corpo é físico, material, não é idealizado, nem romântico, é real, mesmo que não possamos vê-lo, mesmo que não possamos reconhecê-lo num primeiro momento, ele está lá, nos mostrando a nossa falibilidade. Genivaldo busca um estranhamento diante de nós mesmos, nos provoca uma dúvida ante a uma nova possibilidade do reflexo no espelho, nos propõe uma nova abordagem do nosso corpo.

Na exposiçaõ Queimaduras de 3° Grau, Genivaldo apresenta um ensaio fotográfico produzido a partir do registro de paredes de uma edificação que sofreu um incêndio.  As manchas e texturas, poeticamente configuradas, remetem ora a movimentos sanguíneos, ora a movimento das células, ora a cicatrizes, vestígios de um acontecimento.

O Espaço de Arte é um projeto desenvolvido pela Coordenadoria de Desenvolvimento Cultural da Unicamp (CDC), que visa a divulgação da arte e da cultura em espaços diversos dentro dos campi da Universidade através de exposição itinerantes de artistas consagrados e iniciantes.

Serviço: Exposições de Arte Queimaduras de 3° Grau.

Artista: Genivaldo Amorim.

Local: Espaço de Arte da FCA – Sala de Convivência do Restaurante Universitária da FCA – Rua Pedro Zaccarias, 1300, Jd. Santa Luiza – Limeira/SP.

Data: 07 de Novembro a 16 de Dezembro de 2013

Horário de visitação: Segunda à sexta, das 11h00 ás 14h00 e das 18h00 ás 19h30.

Comentários desativados em Genivaldo Amorim expõe suas fotos na FCA – Limeira

AFPU recebe a exposição Arte Naif – Brasil em Cores

Obra da artista em exposição

Obra da artista em exposição

No dia 08 de Novembro a artista plástica Eliete Tordin inaugura sua exposição Arte Naif – Brasil em Cores, no Espaço de Arte da Agência de Formação Profissional da Unicamp – AFPU.

Eliete Tordin nasceu e viveu na cidade de Valinhos, no interior de São Paulo. Com formação autodidata, Eliete possui uma técnica incrível para a elaboração de sua obra, definida como arte naif.

Arte Naif ou arte primitiva moderna é, em termos gerais, a arte que é produzida por artistas sem preparação acadêmica na arte que executam (o que não implica que a qualidade das suas obras seja inferior). Caracteriza-se, em termos gerais, pela simplicidade e pela falta de alguns elementos ou qualidades presentes na arte acadêmica.

As principais características da arte naif são a forma desajeitada como se relacionam determinadas qualidades formais; dificuldades no desenho e no uso da perspectiva que resultam numa beleza desequilibrada mas, por vezes, bastante sugestiva; uso frequente de padrões, uso de cores primárias, sem grandes nuances; simplicidade no lugar da sutileza, etc. Eliete iniciou sua carreira em 1998, ao realizar sua primeira exposição no Salão de Arte Contemporânea de Campinas, e, a partir de então, vem desenvolvendo uma sólida carreira nacional e internacional.

Na exposição “Arte Naif – Brasil em Cores”, Eliete apresenta uma coletânea de obras que retratam um pouco da paisagem da região em que reside, um bairro de chácaras na cidade de Valinhos, mantendo sempre a forma simples e espontânea.

O Espaço de Arte é um projeto desenvolvido pela Coordenadoria de Desenvolvimento Cultural da Unicamp (CDC), que visa a divulgação da arte e da cultura em espaços diversos dentro dos campi da Universidade através de exposição itinerantes de artistas consagrados e iniciantes.

Serviço: Exposições de Arte Arte Naif – Brasil em Cores.

Artista: Eliete Tordin.

Local: Espaço de Arte da AFPU – Espaço Integração – Praça das Bandeiras, 45, DGA. Campus Unicamp – Campinas/SP.

Data: 08 de Novembro a 17 de Dezembro de 2013.

Comentários desativados em AFPU recebe a exposição Arte Naif – Brasil em Cores

A exposição Impressionando o Olhar de Quem o Alcança visita a CDC

Obra de Bernardo Caro

Obra de Bernardo Caro

A Exposição Impressionando o Olhar de Quem o Alcança, do artista Bernardo Caro, tem inicio no dia 11 de Novembro  no Espaço de Arte da Coordenadoria de Desenvolvimento Cultural – CDC.

Bernardo Caro é natural de Itatiba (SP). Foi professor e educador por mais de 40 anos. Dedicou-se sistematicamente à criação artística à partir de 1964, quando foi incorporado ao Grupo Vanguarda da Campinas. Professor de 1954 a 1971 em várias cidades do interior paulista como Uchoa, Tanabi, Valinhos e Campinas. Em 1972 tornou-se professor da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-CAMPINAS), sendo responsável pela instalação do Departamento de Artes Plásticas e assume o cargo de Coordenador de 1979 a 1982. Em 1983 transfere-se para a Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) com a missão de organizar e instalar o Departamento de Artes Plásticas como Chefe de Departamento. No ano de 1987 foi nomeado diretor do Instituto de Artes da Unicamp, função que exerceu até 1990.

Em 2001 recebeu uma homenagem: o Museu do Instituto Hispânico de São Paulo passou a ter o seu nome – Museu Bernardo Caro. Ao longo da vida participou de várias exposições individuais e coletivas no Brasil, na Europa e na América Latina.

O Espaço de Arte é um projeto desenvolvido pela Coordenadoria de Desenvolvimento Cultural da Unicamp (CDC), que visa a divulgação da arte e da cultura em espaços diversos dentro dos campi da Universidade através de exposições itinerantes de artistas consagrado e iniciantes.

Serviço: Exposição de arte “ Impressionando o Olhar de Quem o Alcança”

Artista: Bernardo Caro

Local: Centro de Convenções da Unicamp – Rua Elis Regina, 131, Campus Unicamp – Campinas/ SP.

Data: 11 de Novembro a 13 de Dezembro de 2013

Horário: Segunda à Sexta-feira, das 9h00 às 17h00

Comentários desativados em A exposição Impressionando o Olhar de Quem o Alcança visita a CDC